3 de set. de 2020

MPPE diz que mais de 14 mil servidores receberam auxílio emergencial indevidamente em Pernambuco

MPPE diz que mais de 14 mil servidores receberam auxílio emergencial indevidamente em PE
Segundo investigações do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), mais de 14 mil servidores estaduais e municipais de Pernambuco teriam recebido o auxílio emergencial de maneira indevida.

As investigações foram feitas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pelo Núcleo de Inteligência do MPPE (Nimppe).

Segundo o MPPE, 14.170 servidores que integravam a folha de pagamento do poder público em abril de 2020, teriam recebido o benefício que está sendo pago pelo governo federal por causa da pandemia do covid-19. Estima-se que o pagamento chegou a um montante de R$ 9.965.400,00.

O promotor de Justiça, George Diógenes Pessoa, coordenador do Gaeco, disse que o Nimppe e o Gaeco fizeram um levantamento e cruzaram dados para conferir as denúncias.
"A partir de notícias recebidas sobre a possibilidade de existência de servidores receberem indevidamente o auxílio emergencial, o Gaeco e o Nimppe partiram para um levantamento e um cruzamento de dados a fim de aferir as denúncias. Ainda é um levantamento preambular, que será disponibilizado aos promotores de Justiça de cada município para que deem continuidade às apurações, sempre com auxílio do Gaeco e do Nimppe", explicou.
As cidades com maior número de servidores que receberam o auxílio são Petrolina, Pesqueira, Garanhuns e Saloá. Ainda segundo o MPPE, em 155 dos 184 municípios pelo menos um servidor recebe o auxílio emergencial. De acordo com a instituição, algumas pessoas podem ter sido vítimas de fraudadores.

Investigações serão aprofundadas

O levantamento será encaminhado para promotores de Justiça dos municípios para que as investigações sejam aprofundadas.

Da redação | PE+ Notícias
Com informações do NE10 Interior

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.