8 de jan. de 2020

Secretaria Estadual de Saúde investiga morte de saguis e suspeita de febre amarela em Pernambuco

A última morte dos macacos aconteceu no dia 2 de janeiro. (Foto: André Borges/Agência Brasília.)
A Secretaria Estadual de Saúde e a Vigilância Sanitária de Camaragibe investigam a morte de 14 saguis em Aldeia, na Região Metropolitana do Recife. Os órgãos se mostraram em alerta com a suspeitas de febre amarela. Os animais foram encontrados em um condomínio e estão sendo periciados. É importante destacar que os animais não transmitem a doença.

O diretor de vigilância em saúde de Camaragibe, Geraldo Vieira, informou que a última morte dos macacos aconteceu no dia 2 de janeiro. 
"A transmissão da doença é feita pelos mosquitos silvestres, aqueles encontrados em matas, por exemplo. Os animais não podem ser mortos pela população porque eles podem ser vítimas de outras doenças como raiva, herpes ou arboviroses", esclarece.
De acordo com o diretor, uma reunião será realizada na manhã desta quarta-feira (8), com representantes da coordenação estadual e municipal de saúde para a criação de um cronograma de vacinação para os moradores da região.

Através de nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que foi notificada desde o final de dezembro da morte de 14 macacos em um condomínio fechado de Aldeia. Após a notificação, em 26.12, técnicos do Programa Estadual de Controle das Arboviroses estiveram no local para coletar os animais, objetivando fazer as análises para averiguar o que pode ter provocado os óbitos, como herpes, dengue ou febre amarela. O material já está sendo processado pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE).

O Estado também treinou, na última segunda-feira (6), equipes da brigada ambiental, vigilância ambiental e secretaria de Meio Ambiente do município de Camaragibe sobre a importância de notificar a ocorrência de morte de primatas não humanos e os cuidados ao encontrar esses animais. Também foi reforçada a importância de não alimentar animais silvestres e, de forma alguma, maltratá-los. Importante frisar que matar macaco é um crime previsto em lei, com sanções como prisão e pagamento de multa. O Programa de Arboviroses também está fazendo palestras educativas com os moradores e funcionários do condomínio.

Além disso, de forma preventiva, será feita vacinação de bloqueio contra a febre amarela na população que vive no condomínio e no seu entorno. A atividade de imunização será realizada pelo município de Camaragibe. O Programa Estadual de Imunização já capacitou os profissionais das salas de vacina e da Atenção Primária da cidade.

Por fim, a SES acrescentou que não registra casos autóctones de febre amarela em Pernambuco desde 1938. Ou seja, não há a circulação do vírus da doença no Estado desde então. Destaca-se também que os macacos não transmitem a doença para os humanos, sendo vítimas também do vírus. Importante lembrar, ainda, que Pernambuco realiza, desde 2017, a vigilância em epizootia para monitorar a mortalidade de primatas não humanos. Desde então, não há nenhum óbito relacionado à febre amarela desses animais no Estado.

Os sintomas da Febre amarela são:

-Febre

-Dores de cabeça

-Dores musculares

-Perda de apetite

-Náuseas e vômitos

-Olhos, face ou língua avermelhada

-Fadiga e Fraqueza

Da redação | PE mais
Com informações do Diario de Pernambuco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.