9 de ago de 2019

Corte de R$ 1 bilhão na educação é política criminosa, diz Humberto

Humberto Costa (PT) é líder do PT no Senado
O corte de R$ 1 bilhão do orçamento do Ministério da Educação para comprar votos pela Reforma da Previdência foi um ato criminoso de Jair Bolsonaro (PSL). A avaliação é do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), para quem a medida vai encerrar o funcionamento de diversas instituições federais de ensino até o mês que vem.

Por ordem do presidente da República, um projeto de lei remanejando R$ 3 bilhões do orçamento da União para pagamento de emendas parlamentares foi enviado ao Congresso Nacional, às vésperas da votação da reforma. Do montante, um terço foi retirado da educação, como forma de assegurar apoios pelo segundo turno da proposta que altera as regras da Previdência Social, concluído nesta quarta-feira (7).
"A educação já estava absolutamente estrangulada com sucessivos cortes. Essa nova tesourada vai inviabilizar completamente as instituições. Foi um ato criminoso, contra o qual nós estamos estudando medidas legais para evitar um prejuízo que será incalculável para toda a comunidade acadêmica e o futuro do país", avaliou Humberto.
Cerca de R$ 200 milhões foram retirados diretamente da educação básica. Outros R$ 144 milhões destinados à concessão de bolsas de ensino também foram cortados. A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) foi atingida em mais de R$ 7,2 milhões. Já a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que anunciou esta semana o desligamento de aparelhos de ar-condicionado em salas de aula, perderá mais R$ 5 milhões, enquanto o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) teve suprimidos quase R$ 3 milhões. A Universidade Rural (UFRPE) perdeu cerca de R$ 2 milhões, mesmo valor do Instituto Federal Rural (IFRPE).
"O que vemos é um desmonte acelerado da educação. Bolsonaro retira dinheiro de áreas essenciais para fazer politicalha. Ele destrói os direitos do povo comprando votos com dinheiro público. Não há nada de mais sujo na política do que isso. E ele vende essas práticas espúrias como nova política. É um escândalo que precisa ser detido. E nós vamos dizer isso nas ruas no dia 13", condenou o líder do PT. 
Na próxima terça-feira, uma imensa marcha em favor da educação está marcada para ocorrer em todo o país. No mês de maio passado, milhões de pessoas tomaram as ruas em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal para protestar contra os cortes anunciados pelo governo, o que levou Bolsonaro a recuar em parte das medidas. Na próxima semana, a expectativa dos organizadores é de que o movimento seja ainda maior do que três meses atrás.

Da redação | PE mais
Com informações do Blog Da Folha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.