25 de abr de 2019

Cinco nomes podem disputar a prefeitura de Taquaritinga do Norte em 2020


Faltando pouco mais de um ano e meio para a próxima campanha eleitoral municipal, cinco nomes despontam no meio político para a disputa da prefeitura de Taquaritinga do Norte. O prefeito Lero Ivanildo (PSB), que já deu declarações afirmando que será candidato a reeleição, enfrenta atualmente três blocos de oposição, encabeçados por Jânio Arruda (PSD), Fábio de Jairo (PSL) e Jurandi Ferreira (PTB). Atualmente, Lero também enfrenta uma grande rejeição, inclusive de apoiadores de sua campanha em 2016, empresários e lideranças que se dizem decepcionadas com a postura política do prefeito e a administração, que por eles é tachada de ‘fraquinha’. Lero receberá todo o apoio do deputado Diogo Moraes e com a sua ida para o PSB, ele receberá a proteção do governador Paulo Câmara.

O ex-prefeito Jânio Arruda ainda comanda o maior bloco oposicionista na ‘Dália da Serra’ e apesar de faltar muito tempo para uma decisão de escolha da chapa e de também haver lideranças contrárias a mais uma candidatura dele, Jânio deve ir para a sua sétima disputa eleitoral pela prefeitura. O nome do ex-prefeito deve ser endossado pelas mais tradicionais lideranças do grupo Azul, membros antigos, ex-prefeitos e pelos quatro vereadores oposicionistas Borges, Hélio de Novo, Claudinho de Tonton e Dé Cumarú, além do Deputado Federal, André de Paula (PSD). O maior desafio para Jânio em uma próxima candidatura, será a construção de novos fatos políticos para alavancar a campanha e ter um desempenho crescente.

O policial rodoviário Fábio de Jairo, que coordenou algumas campanhas no grupo Calabar, se declarou oposição ao prefeito Lero, desde antes da eleição de 2016. Ele conseguiu aliados na ala oposicionista e em 2018 fez campanha para a deputada estadual, Alessandra Vieira (PSDB). Recentemente Fabio assumiu a presidência do PSL no município e sem esconder que tem interesse de disputar a eleição como candidato a prefeito, segue filiando pessoas e conseguindo o apoio de lideranças insatisfeitas tanto com o grupo Azul como com o grupo Vermelho. Existe uma expectativa sobre um posicionamento de um provável apoio do vereador João Eugênio (PPS), o que seria um ato de retribuição ao significativo apoio de Fábio na campanha de 2016. Fábio tem pela frente alguns desafios, ele precisa primeiro passar para o povo a certeza de que levará seu projeto até o fim e para isso terá que conseguir o apoio de lideranças importantes para construir um grupo disposto a enfrentar as duas maiores alas políticas do município. Além disso, ele precisa conquistar apoios importantes de lideranças do Distrito de Pão de Açúcar e da zona rural do município, onde ainda não tem um bom engajamento.

Após ser eleito com votos de vereadores da oposição para presidir a câmara municipal e romper politicamente com o prefeito Lero, o vereador Professor Jurandi manifesta nos bastidores interesse de ir para uma disputa pela prefeitura. Porém, para solidificar uma candidatura ele precisa conseguir o apoio de algumas lideranças e de pelo menos um político de mandato. Jurandi tem caminhado de mãos dadas com o vereador Eraldo da Pedra Preta, com quem fez dobradinha na presidência da câmara, juntos eles mostraram afinidade política desde o início de seus mandatos, resta saber se Eraldo apoiaria uma candidatura de Jurandi a prefeito, rompendo assim, definitivamente, os laços políticos com Lero. Jurandi enfrentará praticamente os mesmos desafios que Fábio, conquistar apoios e formar um grupo com disposição, com uma dificuldade a mais, que é ganhar apoios na sede do município, onde ainda não possui tanta influência.

Outro nome que apareceu recentemente para aumentar a relação de pré-candidatos foi o de Ari Custódio, que é irmão do vereador oposicionista Borges. Ele revelou em entrevista que já militou pelos dois principais grupos políticos e agora tem intenções de disputar a prefeitura. Porém, diante dos candidatos citados acima, Ari surge como o candidato com maior dificuldade política, começando pela falta de uma sigla, pois até o momento não pertence a nenhum partido. E também não recebeu apoio de nenhuma liderança popular do município.

Em meio a esses, existe também o nome do ex-vereador Felipe Arruda que tem sido apontado em todo o município como uma excelente opção de renovação. No entanto, Felipe já afirmou que não tem intenções de disputar mais uma eleição no momento, e devido a essa declaração seu nome tem deixado de ser incluído nas discussões sobre o pleito do ano que vem.

E ainda existem outros nomes que figuram nos bastidores, como por exemplo o nome do atual vice-prefeito Gena Lins, que é apontado como uma parte do grupo Calabar como a solução para o desastre administrativo que será deixado por Lero. Não seria novidade pra ninguém dizer que Gena contaria com o apoio dos ex-prefeitos Evilásio Araújo e Zeca Coelho.

Ainda é muito cedo para garantir que todas essas candidaturas se confirmem, mas com o surgimento de novos nomes percebe-se que há uma insatisfação com o modo de fazer política tanto do grupo Gravatinha (boca-preta) como do grupo Calabar. Ambos vem perdendo militantes para os novos nomes, são eleitores que deixaram de acreditar nos projetos políticos tradicionais e buscam propostas diferentes e mais focadas em melhorar a situação do município.

Cabe às novas candidaturas apresentar projetos consistentes, inovadores e com o objetivo de realizar uma administração que surpreenda positivamente. Por outro lado, resta saber se a população de Taquaritinga do Norte vai preferir continuar com tradicionalismo político estabelecido pelos grupos Azul e Vermelho ou vai se aderir as novas opções. O fato é que a eleição de 2020 dá sinais que promete ser muito diferente na 'Dália da Serra'.

Por Paulo Pereira
Da redação | PE mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.