28 de jul de 2018

Cantor puxa coro “Ih, ih, ih, Jesus é travesti” e dispara palavrões durante apresentação no Festival de Inverno de Garanhuns


O cantor Johnny Hooker entoou o coro “Ih, ih, ih, Jesus é travesti”, disparou palavrões e foi vaiado durante sua apresentação nesta sexta (27) no Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). O cantor se dirigiu aos expectadores que assistiam a sua apresentação nos camarotes e contra eles, Johnny ainda disparou: “Eu tenho certeza, que Whisky pago pelo dinheiro público não falta aí”. Confira no vídeo:


Polêmico, o artista já havia beijado o guitarrista de sua banda na boca, logo no início do show.

As provocações de Hooker foram em alusão à proibição da peça “O Evangelho Segundo Jesus Rainha do Céu”, que foi alvo de uma disputa judicial antes de ser apresentada no município, ainda no show o cantor falou: “Viva Renata Carvalho, Jesus Cristo, rainha dos céus! Arte é para o futuro, esses fundamentalistas não vão passar”, sendo acompanhado pelo público que assistia ao show no chão e vaiado pelas pessoas que viam a apresentação de cima, nos camarotes.

Na manhã deste sábado, o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis divulgou uma nota de repúdio, onde lamentou algumas situações que ocorreram na edição deste ano, veja a nota na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO ÀS APRESENTAÇÕES DE CARÁTER OFENSIVO DURANTE O FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS
Vimos a público manifestar nosso repúdio às apresentações ofensivas e desrespeitosas que aconteceram nesta cidade durante a realização do 28º Festival de Inverno de Garanhuns. Aceitar esse tipo de apresentação é compactuar com o desrespeito. 
Todos os anos assistimos apresentações belíssimas durante o Festival de Inverno, verdadeiras manifestações culturais, e que atraem turistas do Brasil inteiro. 
No entanto, determinados acontecimentos vivenciados durante o 28º Festival de Inverno de Garanhuns têm diminuído a grandeza do evento. Artistas sem postura, desrespeitando seus próprios fãs e os cidadãos de Garanhuns, proferindo todo tipo de palavrões e hostilidade. 
Manifestações e importantes debates no que diz respeito aos direitos de liberdade de expressão e liberdade de crença foram enaltecidos em Garanhuns nos últimos dias. Para nossa tristeza, alguns artistas se utilizaram desses mesmos direitos para fazer apologia à violência e à segregação. 
Ontem, testemunhamos, perplexos, manifestações nocivas do cantor Johnny Hooker que proferiu palavrões, insultos e provocações contra símbolos religiosos. Reconhecemos que não se trata de um acontecimento isolado, infelizmente, durante a mesma semana, tivemos Daniela Mercury com o mesmo discurso de senso comum, simplista e arrogante.
Cantores - pagos com dinheiro público - que se preocupam mais em ofender pessoas e a religião alheia do que com sua música (que é o que realmente importa), não merecem respeito e tão pouco admiração, mas desprezo. 
Não podemos compactuar com práticas discriminatórias, nem com ofensas, seja em relação a gênero, orientação sexual, etnia, religião, ou qualquer outro tipo. Tentar impor uma perspectiva como sendo absoluta é epistemologicamente impossível. 
Atentos a tal constatação, manifestamo-nos em completo repúdio a todo tipo de violência, seja direta, indireta, física, verbal, psicológica ou simbólica presenciadas durante o 28º Festival de Inverno de Garanhuns. Esperamos que esses episódios lamentáveis não caiam no esquecimento, mas que sirvam para lembrar que nós garanhuenses estamos aqui, merecemos respeito e um festival de qualidade. 
Izaías Régis Neto - Prefeito de Garanhuns - PE.
Por Paulo Pereira
Da redação | PE mais 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.