2 de jun de 2018

PT-PE adia formação de comissão para tratar de possível aliança com o PSB

Oscar Barreto Foto: Hesíodo Góes/Arquivo Folha
A direção executiva do PT de Pernambuco se reuniu nesta sexta-feira (01) para formar uma comissão, encarregada de discutir com a nacional do partido a possível aliança com o PSB. Porém, a formação do grupo, que deve contar com três membros, terminou sendo adiada para a próxima segunda (04), diante da falta de consenso.

O encontro desta sexta terminou por volta das 17h. Segundo o vice-presidente do PT-PE, Oscar Barreto, a presidente nacional da sigla, Gleisi Hoffmann, ordenou a indicação de uma pessoa favorável à candidatura própria para governador (que seria a da vereadora Marília Arraes) e outra adepta à aliança com o PSB, além do presidente estadual da legenda, Bruno Ribeiro. O trio, neste caso, ficaria responsável por acompanhar as negociações tocadas pela nacional.

Na última quarta (30), Gleisi fez uma reunião, via videoconferência, para externar a posição da direção nacional. Nela, a petista revelou que o PT dialoga com os socialistas sobre uma possível aliança em 10 estados. Mas também garantiu que, em Pernambuco, a direção nacional respeitará a decisão que deve ser tomada durante votação dos delegados pernambucanos, no próximo dia 10. O gesto, no entanto, irritou a ala da agremiação que defende a candidatura de Marília.

De acordo com Barreto, o próprio Lula teria pedido para Gleisi concluir a negociação com o PSB. Por isso, a petista se encarregou de buscar o diálogo com os membros do diretório estadual.
“O motim agora se transformou no sequestro do capitão, que é Lula. Ele fala para tocar a aliança, mas as pessoas preferem fazer um motim. Lula disse que, para que ele possa ser candidato, o partido precisa sair do isolamento. Mas, agora, querem dizer que a posição de Lula não vale mais”, colocou.
Da redação | PEmais
Com informações do blog da Folha 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.