24 de abr de 2018

Lava Jato faz buscas no gabinete de Eduardo da Fonte


A Polícia Federal realizou, na manhã desta terça-feira (24), uma operação no Congresso Nacional, que teve como alvos o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) e o senador Ciro Nogueira (PP-PI). Também houve um mandato de prisão contra o ex-deputado Márcio Junqueira, de Roraima. A procuradoria afirmou que as buscas ocorreram, além de Brasília, em Teresina, Recife e Boa Vista. 

Na nova fase da Lava Jato, o ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), aponta a necessidade de obter provas referentes aos crimes de embaraço à investigação de organização criminosa. De acordo com investigadores, Da Fonte e Nogueira são suspeitos de comprar o silêncio de um ex-assessor do senador que tem contribuído com a Justiça. Ele teria detalhado que recebia pagamento em espécie do ex-deputado Márcio Junqueira. Mas, pela sua colaboração com a Lava Jato, o ex-assessor teria recebido ameaças e chegou a ser incluído no programa de proteção à testemunha.

Em nota, a Procuradoria-Geral da República afirmou que foram cumpridos nove mandados, sendo oito de busca e apreensão e um de prisão preventiva. Os policiais federais chegaram à Câmara e ao Senado nas primeiras horas da manhã. Na Câmara, o sexto andar do prédio de gabinetes, onde fica o de Eduardo da Fonte, foi isolado pela Polícia Legislativa. No Senado, a PF chegou em um carro descaracterizado. O terceiro andar, onde fica o gabinete de Ciro Nogueira, também foi isolado para o trabalho dos policiais.

Em sua decisão, Fachin autorizou a Polícia Federal a recolher documentos, artigos eletrônicos e dinheiro em espécie acima de R$ 50 mil, entre outros itens. De acordo com pessoas que acompanham a operação, policiais federais fizeram cópias dos HDs dos computadores do gabinete de Eduardo da Fonte.

Procurado pela reportagem, Eduardo da Fonte afirmou que está "à disposição da Justiça sempre. Confiamos nela e em Deus".

Da redação PE mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.