14 de ago de 2014

Sepultamento de Eduardo Campos pode ocorrer apenas no domingo


O governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), afirmou na manhã desta quinta-feira (14) que o sepultamento do corpo do ex-governador Eduardo Campos (PSB), que era candidato à Presidência da República, pode ficar para o domingo (17). “Possivelmente, o sepultamento deve ocorrer ou no sábado ou no domingo”, afirmou o governador, em entrevista à Rádio Jornal. Campos faleceu nessa quarta (13), num acidente aéreo em Santos, no interior de São Paulo, onde cumpriria uma agenda da campanha presidencial.

Lyra revelou que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), informou ao governo pernambucano que a equipe de buscas deve terminar até as 12h desta quinta a procura aos restos mortais de Campos e dos demais passageiros e tripulantes do voo. O material deve ser transferido para o Instituto Médico Legal (IML) em São Paulo, onde será analisado. A expectativa é que o trabalho da equipe de medicina legal leve um dia ou dois para ser concluído.

Para acelerar a identificação dos restos mortais, o Governo de Pernambuco já coletou informações de DNA de todas as vítimas e enviou para São Paulo. Às 6h da manhã desta quinta, uma equipe também levou radiografias das arcadas dentárias das vítimas para a capital paulista.

O próprio governador embarcou para São Paulo por volta das 9h, onde vai se reunir com Alckmin para ter o cronograma definitivo da liberação dos corpos. Desde essa quarta, uma comitiva do PSB já viajou para o Sudeste brasileiro.

Campos será velado no Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo de Pernambuco, e enterrado no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife, no mesmo túmulo em que estão o seu pai, o poeta Maximiliano Campos, e o avô, o ex-governador Miguel Arraes.

O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), afilhado político do ex-governador, ficou responsável por visitar as famílias das vítimas para ouvi-los sobre como eles querem realizar o velório e o enterro. Os corpos devem ser transportados para a capital pernambucana em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

Campos deixou viúva a esposa Renata, com quem era casado desde 1991, e cinco filhos. O mais novo deles, Miguel, nasceu em janeiro deste ano. A última vez em que o ex-governador se reuniu com toda a família foi no domingo (10), quando comemorou o Dia dos Pais e o seu próprio aniversário.

A coligação Unidos Pelo Brasil tem dez dias para indicar um substituto para o pernambucano na disputa presidencial. Campos tinha como vice a ex-senadora acriana Marina Silva (PSB).


Fonte: Blog de Jamildo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.