12 de abr de 2018

O 11º Curta Taquary está com inscrições abertas para Oficinas de Formação

Entre os dias 16 e 21 de abril, a pacata cidade de Taquaritinga do Norte, no agreste pernambucano, será roteiro para os amantes do cinema, boa música e gastronomia com a realização da 11ª edição do Festival de cinema Curta Taquary.

O evento já é consolidado no circuito dos festivais de cinema do País e transforma a cidade em um multiculturalismo com mostras competitivas e não competitivas, sessões itinerantes em escolas públicas, oficinas, seminários, encontros de cinema e educação, palestras, exposições, shows e uma infinidade de atividades, todas gratuitas.

Confira as oficinas disponíveis na edição deste ano, que entre as novidades realizará uma oficina no distrito de Pão de Açúcar. Para se inscrever basta acessar um link preencher o formulário online disponível para cada oficina.

Oficina Rápida de Cinema Ligeiro

Ministrante: Eva Jofilsan
Quinta e Sexta-feira (dias 19 e 20), das 9h às 12h e das 13h30 às 16h30
Local: EREM Severino Cordeiro de Arruda.

Sobre a Oficina: é uma formação que contempla os debates acerca das possibilidades estéticas das vinhetas audiovisuais. A internet e as redes sociais condensaram a duração da imagem, tornando-a, muitas vezes, esvaziada de sentido ‐ podemos mencionar, por exemplo, o fato da rede social Instragram não aceitar vídeos com mais de um minuto. A inquietação dos atores sociais, a liquidez dos desejos e a perda do poder de contemplação podem ser alguns fatores para este esvaziamento, mas, por outro lado, o modelo de curta duração pode ser transformado em potência, sobretudo se o pensarmos sob o poder catártico da imagem. Quando os elementos são exaltados e sobrepostos no intuito de criar complexidade, o público é levado à ampliar o olhar. Se pensarmos no conceito de rapidez proposto pelas vinhetas audiovisuais, encontramos peças concisas que promovem o diálogo com o meio, seja ele uma cidade ou um evento.

Faixa etária: a partir dos 14 anos.
Carga horária: 9 horas.
Público-alvo: alunos de escolas públicas demais pessoas interessadas na experiência audiovisual com ou sem formação prévia.
Vagas: 10 participantes.

Currículo resumido
Eva
Eva Jofilsan é produtora e realizadora audiovisual. Idealizou e desenvolveu a atividade de formação “Da Poesia ao Vídeo: a construção do videopoema” (2015), realizou os videopoemas “Vertical” (2008) e “Wilma” (2011), adaptação das poesias homônimas de Biagio Pecorelli e Cida Pedrosa, respectivamente. Atualmente se dedica à finalização do documentário ensaio “Híbridos”, sobre a relação da palavra com as outras linguagens. Atuou na coordenação de produção do longa-metragem “A Morte Habita à Noite”, de Eduardo Morotó; na produção de locação e set da minissérie “Os Ovos da Raposa”, de Valdir Oliveira e como diretora de produção dos curtas-metragens “Frequências”, de Adalberto Oliveira e “Olhos de Botão”, de Marlom Meirelles. Como assistente de direção atuou nos curtas-metragens “Painho e o trem”, de Mery Lemos; “Os Suspiros Primários”, de Jucélio Matos; “Épico Culinário”, de Paulo Meira e no “Urânio Picuí”, dirigido por Antônio Carrilho e Tiago Melo. Cursou especialização em Estudos Cinematográficos na Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP), voltando suas pesquisas para documentário animado. Possui graduação em cinema pela FMN, além de cursos extras nas áreas de fotografia, roteiro e desenvolvimento de projetos.

>> Formulário de inscrição: https://goo.gl/3FJf1a

Além da imagem: Oficina de Rotoscopia
Ministrante: Marcos Buccini
Quarta a Sexta (dias 18, 19 e 20), das 8h30 às 11h30
Local: Salão Paroquial – Taquaritinga do Norte

Sobre a Oficina: Excelente para iniciantes e para desafiar as convenções da animação tradicional, a técnica de rostoscopia consiste em criar animações a partir de uma base fílmica pré-existente. A proposta da oficina é, a partir de filmagens prévias realizadas pelos alunos, realizar experimentações em diversos estilos, suportes e materiais.

Faixa etária: a partir dos 12 anos.
Carga horária: 9 horas.
Público-alvo: qualquer um que se interesse por animação.
Vagas: 15 participantes.

Currículo resumido
Marcos Buccini é formado em Design, mestre em Design da Informação e Doutor em Comunicação pela UFPE. Desde 2008 trabalha como professor efetivo do Núcleo de Design da UFPE/CAA, onde Coordena o Maquinário - Laboratório de Animação UFPE. Em 2005, fundou e coordenou o Núcleo de animação Digital da AESO/Barros Melo. Coordenou na mesma instituição a Pós-Graduação em Animação Digital. Produziu 9 filmes, ganhando mais de 50 prêmios no total.

>> Formulário de inscrição: https://goo.gl/Da9Spk

Oficina de Interpretação
Ministrante: Arly Arnaud
Quinta a Sábado (dias 19, 20 e 21), das 13h30 às 16h30
Local: Salão Paroquial – Taquaritinga do Norte

Sobre a Oficina: Oficina ministrada pela atriz Arly Arnaud, formada em Direção Teatral pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), com objetivo de montar um espetáculo. Através de exercícios de corpo, voz e interpretação, os participantes vão ter a oportunidade de saber se portar diante das câmeras, como também conseguir a desinibição para apresentações em público.

Faixa etária: A partir de 13 anos.
Carga horária: 10 horas.
Público-alvo: qualquer pessoa que queira aprender sobre interpretação.
Vagas: 20 participantes 

Currículo resumido
Natural de Campina Grande,Paraíba. 60 anos. Formada em Direção Teatral na Universidade Federal da Bahia (UFBA); Diretora da Cia Cordel em Canto; Professora de Teatro e Presidente do Teatro Elba Ramalho (Campina Grande-PB). Atua com atriz desde os anos de 1970, em seguida passa a ministrar cursos e publicar trabalhos, na TV apresentou, produziu e dirigiu diversos programas (infantil e adulto), dentre eles, na TV Educativa de Salvador/BA de 1985 a 1990, participou de novelas e seriados. No cinema atuou em ‘O Pagador de Promessas’ em Salvador/BA, 1987, destacou-se no longa-metragem ‘Eu Me Lembro’ de Edgard Navarro gravado em Salvador/BA, 2005, recebendo o troféu Candango de melhor atriz no festival de cinema Brasília. Atuou ao lado de Sônia Braga em “Aquarius", de Kléber Mendonça Filho, filme que foi indicado no Festival de Cinema de Cannes.

>> Formulário de Inscrição: https://goo.gl/SLoYNm

Oficina Documentando
Ministrante: Marlom Meirelles
Segunda a Quarta (dias 16, 17 e 18), das 9h às 12h e das 13h30 às 16h30
Local: Escola Municipal Professora Gilzenete Guerra – Pão de Açúcar

Sobre a Oficina: Por meio da análise de obras de diferentes cinematografias, de reflexões teóricas e exercícios práticos, a oficina estimula o olhar do aluno para a leitura e realização de obras documentais, dando a ele uma base de conhecimento sobre o desenvolvimento do documentário na história do cinema. Os participantes, que não precisam ter conhecimentos prévios na área, tem acesso às técnicas básicas de captação e edição de imagens em vídeo, além de instruções sobre a linguagem cinematográfica e as etapas e funções numa produção. A oficina instiga a consciência de que o cinema é um instrumento de construção da realidade, permitindo que os alunos observem as possibilidades de abordagem, narrativas, dispositivos e processos de trabalho. Ao final das aulas é realizado um documentário.

Faixa etária: a partir dos 15 anos.
Carga horária: 20 horas.
Público-alvo: pessoas interessadas na vivência do audiovisual.
Vagas: 15 participantes.

Currículo resumido
Marlom Meirelles
Fundador e diretor executivo da Eixo Audiovisual, produtora independente de cinema, vídeo e TV. Diretor dos curtas de ficção “Devaneio” (vencedor do XXI Festival de Curtas de Pernambuco), “A Emparedada da Rua Nova” (premiado no Cel.U.Cine), “Olhos de Botão” (projetado na Universidade de Harvard e em mais de 60 festivais mundo afora) e do documentário “Entre Mulheres”. Produtor executivo do curta-metragem “Iluminadas”, dirigido por Gabi Saegesser, e editor do longa-metragem “One Day We Arrived to Japan”, co-dirigido pelo norte-americano Aaron Litvin e pela paulistana Ana Paula Hirano (exibido no museu de etnografia de Genebra).

Desenvolveu e coordenou o projeto de formação “Cabeça de Cinema”, um conjunto de 12 cursos de iniciação audiovisual oferecido a estudantes da rede pública de ensino da região metropolitana do Recife, em uma ação que integrou o projeto cineCabeça. Conceituou e produziu o curso “História do Cinema Pernambucano”, resultado de uma densa pesquisa sobre os ciclos de cinema do Estado. É coordenador e professor dos projetos “Documentando” e “Mídias Móveis”, oficinas temáticas de iniciação audiovisual.

>> Formulário de inscrição: https://goo.gl/zS59yT

Da redação | PE mais 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.