18 de jan de 2018

Promotores assumem 20 cidades do interior de Pernambuco no início de março


A população de 20 cidades do interior de Pernambuco vão contar, a partir do dia 5 de março, com promotores de Justiça titulares. Convocados em novembro do ano passado, os novos membros do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) estiveram na manhã desta quinta-feira 18 na sede da instituição, no bairro de Santo Antônio, na região central do Recife, para a definição de quais comarcas vão trabalhar. A posse dos promotores está marcada para 6 de fevereiro, no Teatro Beberibe, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda.

Ao todo, 504.674 pessoas serão beneficiadas com a medida, promovida pela Procuradoria Geral de Justiça. Junto aos 21 outros membros que assumiram seus cargos no ano passado, são 41 novos promotores de Justiça convocados pelo procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros.

No Sertão, foram definidos os titulares de 14 promotorias: Bodocó, que terá o promotor de Justiça Eduardo Aquino; Cabrobó, Tiago Boulhosa Gonzalez; Carnaíba, Ariano Aguiar; Custódia, Tiago Meira Souza; Exu, Nara Guimarães; Flores, Rafael Steinberger; Floresta, Camila Guerra; Inajá, Patrícia Siqueira; Petrolândia, Felipe Britto; Serrita, André Almeida; Tabira, Eryne Luna; Tacaratu, Fábio Estevam; Terra Nova, Raíssa Lima; e Trindade, Fábio Castro. Já no Agreste, foram cinco: Águas Belas, Daniel Dias; Buíque, Vinícius Araújo; Ibirajuba, Gabriela Lapenda; Jupi, Crisley Tostes; e Lagoa dos Gatos, Leandro Matos; e na Zona da Mata, Chã Grande, que terá como promotor Gustavo Holanda Dias.

Os novos membros do MPPE ainda passarão por algumas instâncias burocráticas antes de começarem a trabalhar. Em 2 de fevereiro, farão exame médico. Em 7 de fevereiro, dia seguinte à posse, os promotores iniciarão o curso de formação, onde passarão por uma capacitação sobre o funcionamento do MPPE, suas atribuições e os principais desafios do cargo. E no dia 5 de março, após concluírem a formação, assumem os cargos formalmente.

O procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, falou aos novos colegas sobre as dificuldades que enfrentarão, mas os exortou a seguirem suas vocações e a adotarem o espírito de coletividade que é uma das marcas do Ministério Público de Pernambuco.

“O promotor no interior é mais do que um promotor: é conselheiro, é psicólogo, é até médico. A carência do cidadão é muito grande e temos que estar preparados para isso”, disse ele, lembrando os esforços do ponto de vista de orçamento foram feitos para que fosse possível convocar 41 aprovados no concurso.

Da redação | PE mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.