.

.

29 de jun de 2017

Paulo Câmara apresenta resultados do primeiro mês da Operação Prontidão

Coletiva no Palácio do Campo das Princesas | Foto: Divulgação
Um mês após as fortes chuvas que atingiram a Mata Sul e parte do Agreste pernambucano, o governador Paulo Câmara apresentou, ontem, quarta-feira (28), no Palácio do Campo das Princesas, o conjunto de ações realizadas pelo Governo de Pernambuco no atendimento às vítimas, por meio da Operação Prontidão. Ao todo, R$ 22,5 milhões foram aplicados pelo Estado em áreas essenciais para a retomada da normalidade nos municípios.

Entre os investimentos estão a antecipação de parcela do Chapéu de Palha, antecipação de 50% do 13º aos servidores das 23 cidades mais atingidas, aquisição e distribuição de alimentos e mantimentos, limpeza das cidades e recuperação dos acessos, manutenção do Hospital de Campanha, em Rio Formoso e o restabelecimento dos sistemas de abastecimento de água, entre outros.
“O trabalho foi muito intenso. As cidades, em sua grande maioria, voltaram a sua normalidade, mas a agente tem um novo caminho pela frente. Vamos continuar o nosso trabalho: agindo, recuperando e investindo no que for emergencial. Enquanto houver risco de fortes chuvas e enchentes, a gente vai trabalhar para dar respostas rápidas a qualquer tipo de transtorno que possa ocorrer”, pontuou o governador, completando: “Vamos iniciar uma nova etapa junto com todos prefeitos e prefeitas dos municípios atingidos, a partir da próxima semana, com base nos nossos levantamentos e nas demandas apresentadas. Alguns serviços já podem ser iniciados, como a reconstrução de acessos, estradas e equipamentos públicos e já está no nosso planejamento a execução desses serviços”, destacou.
Desde o dia 29 de maio, 19 escritórios locais em 25 municípios, além do Gabinete de Crise Central, implantado na sede do Governo, no Recife, funcionam interligados para a coordenação das atividades e ações desenvolvidas em todos os municípios afetados. Hoje, Pernambuco registra um total de 1.073 desabrigados, 8.204 desalojados e cinco óbitos decorrentes das fortes chuvas de maio. Até o momento já foram arrecadados e distribuídos cerca de 285,9 toneladas de cestas básicas + pronto consumo; 211.200 m² de lonas; 14.480 kits dormitórios; 14.483 colchões; 179,7 toneladas de alimentos avulsos; 210.254 litros de água; 9.693 kits de limpeza; 5 mil kits de higiene; 15,8 toneladas de materiais de higiene e limpeza; e 117,7 toneladas de roupas.

A força-tarefa, acionada para atender de imediato a população, continuará em operação até o restabelecimento da normalidade dos municípios em estado de Emergência. A equipe é composta por técnicos das Secretarias/Órgãos: SEPLAG, CAMIL, CODECIPE, SECHAB, SDS, SES, SETRA, SDSCJ, SAD, SCGE, PGE, SECID, COMPESA, APAC E SERH.

Foi decretado pelo Governo de Pernambuco estado de Emergência (Decretos nº 44.491/2017, nº 44.492/2017 e nº 44.531 /2017) em 27 municípios. São eles: Amaraji, Água Preta, Barra de Guabiraba, Belém de Maria, Catende, Cortês, Jaqueira, Maraial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, Barreiros , Gameleira, Caruaru, Ipojuca, Joaquim Nabuco, Jurema, Lagoa dos Gatos, Primavera, Quipapá, Sirinhaém, Tamadaré, Xexéu, São José da Coroa Grande, Bonito e Escada.

A União, atendendo solicitação do Governo de Pernambuco, repassou um total R$ 17,55 milhões para aquisição de alimentos e mantimentos. Outros R$ 5,53 milhões já foram solicitados pelo Estado para obras de restabelecimento, e R$ 25,8 milhões para a aplicação de gelmantas nas encostas dos municípios com maior risco de deslizamento de barreiras.
“Hoje, as áreas estão cobertas por lonas, mas já temos experiências no Recife da eficácia da gelmanta. Então, vamos poder oferecer mais segurança a curto e longo prazo para a população, assim que recebermos esse valor solicitado ao Governo Federal”, explicou o coordenador do Gabinete de Crise Central e secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni.
Da redação | PEmais 

Nenhum comentário:

Postar um comentário