12 de jun de 2017

"O senhor passou dez anos banido da política porque causou danos aos cofres públicos", dispara Geovane contra Jurandi

Na reunião da câmara de vereadores de Taquaritinga do Norte, que aconteceu na última sexta-feira (9), a troca de farpas entre vereadores situacionistas e oposicionistas, como também entre ex-aliados do grupo Calabar estremeceu a casa Miguel Lucas de Araújo.

A motivação para o clima esquentar foi a votação das contas do ano de 2012 do ex-prefeito Evilásio Araújo. As discussões se intensificaram e o clima deixou de ser amistoso entre os parlamentares Goevane César e Jurandi Ferreira, antes aliados no grupo Calabar.

O vereador e vice-presidente da câmara, Jurandi Ferreira ao se pronunciar na tribuna, disse se sentir enojado diante do comportamento de alguns vereadores.

"Estou hoje aqui envergonhado, enojado. Num momento em que o país tenta sair desse lamaçal de corrupção e sujeira,  que acontece aqui hoje na política não me faz abaixar a cabeça não, mas me desencanta da política e me envergonha, disse.
"Na qualidade de vereadores e representantes do povo nós não podemos nos dar a toda vergonha, ao desfrute, de por amizade ou pela história de que é grupo político chegar aqui, quando o relatório de apenas oito página do Tribunal de Contas, que está aqui há muito tempo conosco, e que deveria pelo menos ter sido lido pelos vereadores, porque se tivesse sido lido não teria como alguém chegar aqui e defender aquilo que é indefensável... Eu me entristeço com a vereadora Rogéria, eu fiquei muito triste com as suas palavras e lamento muito o seu comportamento nessa casa", disparou.
"O projeto que eles pediram vista é somente uma folha, somente isso. Para que pedir vistas a isso? Que tipo de vereador Taquaritinga tem? O Brasil precisa ser passado a limpo e Taquaritinga não pode ser diferente. Eu sou grupo dentro do que é correto, dentro do que é errado, não".
Saindo em defesa do ex-prefeito Evilásio, o vereador Geovane César disparou uma série de críticas e acusações contra Jurandi Ferreira. Geovane falou com detalhes e afirmou que Jurandi causou danos aos cofres do município.
"O professor Jurandi, um homem tão esclarecido, cobrou tanto dos políticos atuais, mas ele esqueceu do seu primeiro mandato quando foi presidente dessa casa e a lambança que fez com o dinheiro público. Evilásio sendo limpo ou não tá parcelado a dívida dele com a previdência, coisa que o senhor não teve o zelo com o dinheiro público... O seu nome tá na dívida ativa do município".
"Entrem lá na tributação e procurem pelo nome Jurandi Tavares para ver se ele não deve ao município, porque quando ele presidiu essa casa deu um aumento irregular para o senhor mesmo se beneficiar, o senhor legislou em causa própria. O senhor  não contente com um salário de presidente que é o dobro, deu um reajuste dentro da própria legislatura, isso é tirar o dinheiro do povo. E passou dez anos banido da política porque fez isso com o dinheiro do povo e isso causou danos aos cofres públicos, o senhor não devolveu e a dívida ficou para o município. Aí o senhor chega aqui posando de pai da moralidade, cobrando dos políticos... Pegue as minhas contas e compare com as suas".
Geovane cobrou providências sobre a dívida, que segundo ele, o vereador mantém com o município e classificou como 'nojenta', a história de Jurandi na câmara.
"Agora os que vem aqui atirar pedras em Evilásio, a história deles como presidente dessa casa não é feia não, é suja, é nojenta, porque causa danos aos cofres públicos do município, como o senhor fez. O senhor tá lá devendo ao município, o senhor cobrou tanto dos políticos, pegue pra si essa responsabilidade, resolva essa dívida ativa no município. Resolva! Cobrou Geovane.
Ainda em tom de revolta, Geovane falou sobre as complicações eleitorais que o vereador Jurandi enfrentou na campanha de 2016 e disse que ele tomou o mandato do ex-vereador Luquinha para ocupar a cadeira na câmara.
"Por conta disso que e o senhor fez ficou inelegível. Aí o que foi que o senhor fez registrou sua candidatura e o juiz eleitoral não assinou, porque o senhor é inelegível. O senhor não se conformou, deu adiante a candidatura, teve ai seus quinhentos e poucos votos..." 
"O companheiro Luquinha legitimamente foi candidato, sua candidatura foi aceita pelo Tribunal Regional Eleitoral, foi aceita pelo juiz eleitoral aqui e os votos de Luquinha foram validados. O senhor inconformado em seguida, foi no TRE, entrou com um recurso e tirou o mandato de quem teve votos". 
"O senhor tá aí sentado pela força de um recurso não é com o voto do povo não... Aí vem falar em manobra, atirar pedra em Evilásio, cobrar dos políticos... Vereador, primeiro se respeite!" 
"É muita hipocrisia e muita demagogia para um pessoa só, que para chegar ao poder tomou o mandato de um companheiro que é grupo".
O clima promete continuar muito quente na casa legislativa, pois nesta terça-feira (13) acontecerá a votação e mais uma conta do ex-prefeito Evilásio Araújo. Com isso, o embate entre os vereadores deve permanecer acirrado.

Por Paulo Pereira
da redação | PE mais 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.