29 de mai de 2017

Michel Temer libera linha de crédito de R$ 600 milhões para Pernambuco

Comitiva com nove ministros, além dos presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, acompanhou o presidente.

Governador Paulo Câmara e presidente Michel Temer discutiram ações emergenciais para recuperar prejuízos deixados pelas chuvas (Foto: Aluisio Moreira/SEI)
Em reunião com o governador Paulo Câmara (PSB), no Palácio do Campo das Princesas, o presidente da República, Michel Temer, autorizou na noite e ontem, domingo (28), o envio de ajuda humanitária para atender as cidades pernambucanas em estado de calamidade devido às fortes chuvas que caíram nos últimos dias, na Zona da Mata Sul e no Agreste do estado. E se comprometeu com a liberação de uma linha de crédito de R$ 600 milhões, junto ao BNDES, para obras no estado.
"Há duas atividades. Uma é emergencial, que já está sendo cuidada desde já, pelo ministro da Integração, e pelo ministro das Cidades, em atividades de recuperação nesses municípios. O outro é mais a longo prazo e diz respeito a obras que deverão ser concluídas, de caráter preventivo. Com isso, nós nos comprometemos, mais uma vez, a levar adiante essas obras de caráter preventivo", disse Temer.
No encontro, governador e presidente trataram sobre a conclusão das obras de quatro barragens e uma linha de crédito para obras hídricas para amenizar a seca no estado. Temer se comprometeu a analisar a quantia de R$ 385 milhões para as barragens e R$ 600 milhões para as obras hídricas. "Há o financiamento que está lá no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), já aprovado pela secretaria do Tesouro Nacional. Me comprometi com o governador a providenciar a liberação desse empréstimo, que é fundamental. São R$ 600 milhões", pontuou o presidente.
"Nós apresentamos hoje para o presidente da República uma situação preliminar diante das chuvas das últimas horas. Precisamos de ações emergenciais, com ações que envolvem ajuda humanitária, questão de saúde, de salvamento. Por outro lado, apresentamos também aquilo que entendemos como solução definitiva. A obra [da barragem] de Serro Azul teve sua serventia decisiva para evitar uma catástrofe ainda maior na Mata Sul. Só que é preciso finalizar quatro barragens, que estão em estágios variados de desenvolvendo e que precisam de recursos federais para suas finalizações. Muitas delas estão paradas há mais de dois anos", comentou o governador ao dizer que, com recursos em mãos, essas obras podem ficar prontas num prazo de seis a 18 meses.
De imediato, a ajuda humanitária anunciada pelo presidente corresponde a um hospital de campanha, a vinda de dois helicópteros com guincho e a atuação das Forças Armadas nas cidades atingidas pelas chuvas. As três ações já serão empregadas na segunda-feira (29). Entretanto, o governador tem até 48 horas para apresentar outras necessidades.


Reunião de Temer com governador contou com nove ministros, presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, além de prefeitos de cidades atingidas (Foto: Aluisio Moreira/SEI)
O presidente chegou à capital pernambucana por volta das 20h15. A reunião sediada no Palácio do Campo das Princesas, na área central do Recife, começou às 21h. A comitiva que acompanhou Temer na reunião contou com os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), dos ministros Raul Jungmann (Defesa), Bruno Araújo (Cidades) e Mendonça Filho (Educação), Helder Barbalho (Integração Nacional), Fernando Bezerra Filho (Minas e Energia), Torquato Jardim (Justiça), Maurício Quintella (Transportes), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo).

Também estiveram presentes os prefeitos de Amaraji, Rildo Reis (PR); Caruaru, Raquel Lira (PSDB); Primavera, Dayse Juliana (PSDB); e Gravatá, Joaquim Neto (PSDB).

Da redação | PE mais
com informações do G1/PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.