.

.

31 de mai de 2017

Governador segue visitando cidades em estado de emergência para acompanhar ajuda às vítimas

Paulo Câmara visitou, na tarde desta quarta (31), municípios de Catende e Ribeirão, na Mata Sul do estado. Na ocasião, ele explicou que cobrança de impostos da Secretaria da Fazenda está suspensa durante o período emergencial.
Governador Paulo Câmara foi às cidades de Catende e Ribeirão para acompanhar planejamento para ajudar vítimas das enchentes e para reconstruir imóveis prejudicados pela água (Foto: Reprodução/TV Globo)
Diante das enchentes que deixaram 24 municípios de Pernambuco em estado de emergência, o governador Paulo Câmara visitou, na tarde desta quarta-feira (31), as cidades de Catende e Ribeirão, na Zona da Mata Sul, para acompanhar o planejamento de ajuda humanitária às famílias desalojadas e de limpeza das áreas atingidas pela água, feito por 'gabinetes de crise' instalados nos dois municípios. De acordo com o governador, a Secretaria Estadual da Fazenda irá suspender a cobrança de impostos das cidades em emergência nos dias do período emergencial.
“Estamos buscando restabelecer o funcionamento das cidades. Como estamos em estado de emergência, há um trâmite mais célere para fornecer ajuda às pessoas”, afirma o governador. “A ideia é acelerar a ajuda humanitária às vítimas", explicou.
Câmara disse, ainda, que o trabalho deve se estender pelos próximos meses. "O nosso trabalho será intensivo no mês de junho e julho para recuperar as cidades”, garantiu. Na segunda (29), o governador também fez visitas aos municípios de Barreiros, Belém de Maria e Palmares, todos da Mata Sul.

O governador explicou, também, que o planejamento inclui a manutenção de equipes dos Bombeiros e da Defesa Civil de prontidão e a retomada do fornecimento de água e de energia nas cidades. O trabalho inclui, ainda, ajuda às pessoas desabrigadas e desalojadas.
“Estamos fazendo todos os cadastros das pessoas que perderam as moradias e que tiveram parte da casa afetada”, explica.
Em Catende, na Mata Sul de Pernambuco, população trabalha para retirar a lama dos imóveis e das ruas (Foto: Oton Veiga/TV Globo)
A longo prazo, Câmara alegou que a ideia é seguir um plano de trabalho junto ao governo federal para a retomada das obras em quatro barragens.
“A ação estruturadora que pôde ser feita [desde 2010, quando houve outras enchentes no estado] foi a barragem de Serro Azul. Agora é preciso se preparar para retomar as obras paradas”, afirma.
Da redação | PE mais
Com informações do G1 

Nenhum comentário:

Postar um comentário