7 de abr de 2017

“Agora vou saber quem será aliado e adversário”, diz Lero em entrevista

Prefeito quer mudança para nova eleição na Câmara. Eraldo e Jurandi dizem não aceitar

Fotos: Janielson Santos.
Às vésperas de uma nova eleição para Mesa Diretora da Câmara de Vereadores, após decisão judicial que determinou pleito em até 72h, grupo ‘Calabar’ em Taquaritinga do Norte parece não ter conseguido se entender. O prefeito Lero (PR) tenta, em curto prazo, juntar os 7 vereadores eleitos no seu palanque, dando uma nova conjuntura à mesa da Casa Miguel Lucas de Araújo.

Em entrevista à Rádio Polo, na manhã desta sexta-feira (07), Lero explicou que ‘criou-se um arranhão’, na eleição de Eraldo de Pedra Preta (PTN) e Professor Jurandi (PTB), para presidente e vice da Casa de leis, com votos da oposição.
“Acredito que tudo na vida tem começo, meio e fim. É a hora do grupo Calabar mostrar força, mostrar quem é governo e quem é oposição”, disse o prefeito.
Lero argumenta que não é de ‘impor, nem botar faca no pescoço’, mas chegou a hora decisiva para escolhas na Câmara. Ele reafirma apoio em Eraldo e Jurandi, mas mudando os demais componentes da mesa. Na eleição do dia 1 de janeiro, dois oposicionistas ficaram na primeira e segunda secretaria.
“Vou pedir ao grupo, por que na minha visão não tem como tirar Eraldo da presidência. Vou pedir que os sete realmente votem em Eraldo presidente e Jurandi vice”, disse e completou mais à frente. “Vou pedir também, em nome da união do grupo, que eles mudem a mesa […] Ele (Eraldo) faça essa mesa com nomes do grupo Calabar. Por que agora, aquele que se negar a se eleger dentro do grupo, vou saber quem vai ser aliados e quem vai ser adversários”.
Eraldo e Jurandi não concordam com mudança


A ideia de mudança na mesa não agradou os vereadores Eraldo e Jurandi. Eles estiveram no mesmo programa, pouco depois do prefeito e asseguraram que a formação seguirá a mesma.
“Eu estou tranquilo, ciente de tudo que está acontecendo. Mas quero dizer que vai permanecer como está. Vamos convocar a eleição e não vai mudar nada”, falou Eraldo.
O presidente disse também que não esperava que um pedido judicial partisse da própria bancada.
“Como vou me sentir na mesa com as pessoas que tiveram a coragem de entrar na justiça, covardemente, contra a minha pessoas?”, questiona e completa “É difícil isso”.
Eraldo disse que pode participar da reunião com o gestor e os demais vereadores do grupo, mas já teria adiantado sua posição ao prefeito.

Com informações do blog de Ney Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.