9 de jan de 2017

Vereador Geovane diz que eleição de Eraldo na câmara foi "uma tremenda traição"

Foto: Paulo Otávio (Paulinho) do Blog PE mais
Na reunião ordinária que aconteceu na última quinta-feira (05), o vereador Geovane César tentou explicar porque abandonou a sessão em que aconteceu a eleição para escolher o novo presidente da câmara municipal. Geovane saiu da sessão junto com mais quatro parlamentares da base do governo por não aceitar a candidatura de Erado da Pedra Preta, aliado de grupo e vereador mais votado do município no pleito de 2016.
"Me ausentei sim, não com medo de vaia, porque desde 2004 eu estou na política como uma pessoa pública. Já fui vaiado por várias vezes e também fui aplaudido, é comum na vida de qual uer pessoa pública, não foi por medo de vaia e sim por não compartilhar e não ser conivente com o que aconteceu nessa casa", cravou o vereador e em seguida emendou: "Ser conivente com uma tremenda traição que aconteceu nessa casa, um ato de ingratidão com governo Lero, uma tremenda traição, um ato de covardia com o grupo Calabar. Não ficaria aqui para presenciar isso... Fiz e faço, porque essa foi a primeira derrota do governo. Faria tudo de novo, porque eu tenho um lado. tenho uma cor. Porque presidente vir pra essa casa falar que não tem cor, que não tem bandeira, é tudo balela, hipocrisia, aqui tem duas aulas políticas! Eu respeito muito a oposição e a oposição sempre me respeitou, mas eu sou governo e sou da base do prefeito Lero, eu vou fazer de tudo nessa casa para defender o grupo de Lero".                         
Em seguida, Geovane falou sobre o acordo em que teria garantido apoio a Eraldo para presidente do legislativo, caso o colega fosse reeleito em 2016. Geovane negou que tenha firmado compromisso com colegas vereadores.
"Falaram nas rádios que naquele momento, há dois anos atrás, quando fui presidente, que eu tinha um compromisso com Eraldo. 
Falando da tribuna, olhando diretamente para o vereador Eraldo, ele argumentou:
"Você sabe que eu nunca afirmei compromisso com o senhor, você sabe quem está aqui presente e quem é testemunha disto, Luquinha. Quando ganhamos as eleições, quando ganhamos a câmara a gente costumava conversar e eu falei que se um de vocês viesse ser eleito eu poderia votar mas nunca afirmei compromisso... Eu não sou de duas palavras falar eu falei, eu poderia votar em um dos dois, mas o momento hoje é um momento do grupo. Lero teve início de mandato com mais uma vitória na câmara, nós somos sete, não tinha por que fazer conchavo com a oposição".
Finalizando, Geovane disse que Eraldo e Jurandi só levaram a disputa pela presidência até o fim por 'sede de poder'.
"A oposição estava aí só esperando e vocês caíram, caíram por sede de poder, por ambição, e hoje fizeram o que fizeram com o governo Lero, realizaram o sonho do presidente Eraldo... E transformou em pesadelo a governabilidade".
Por Paulo Pereira
Da Redação | PEmais 

Nenhum comentário:

Postar um comentário