.

.

4 de jan de 2017

Em áudio, João Eugênio diz que eleição não valerá e que Eraldo da Pedra Preta é despreparado

Após a polêmica que se formou em cima da eleição para presidência da câmara municipal de Taquaritinga do Norte no último domingo (01), o tema continua repercutindo na 'Dália da Serra'. A polêmica agora gira em torno de um áudio publicado pelo vereador João Eugênio (PPS) em um grupo de política no aplicativo whatsapp. No áudio, o recém eleito tenta justificar a saída dos vereadores situacionistas da sessão que elegeu Eraldo da Pedra Preta presidente do legislativo.

"Da reunião os vereadores não participaram, a gente participou da cerimônia de posse, assim que a posse acabou nós nos retiramos para protestar e mostrar ao povo de Taquaritinga que para se "regir" aquela casa, se precisa de conhecimento e de preparo", disse João Eugênio, que segue tentando explicar o acontecido. "Nunca foi negado a Eraldo, nem a nenhum vereador do grupo que pudesse ser presidente. O que foi pedido a Eraldo foi que ele se preparasse durante esses dois anos e no segundo biênio seria ele, mas ele não aceitou, se juntou com a oposição, que agente já sabia que isso ia acontecer, por isso o motivo da nossa saída, para mostrar a cada um de vocês a falta do preparo".
Nos trechos finais do áudio João acusa a nova mesa diretora de não ter conhecimento do regimento e diz que os vereadores que permaneceram na sessão atropelaram leis.
"Atropelaram a lei orgânica do município, não tem conhecimento nenhum do regimento interno da casa, pois se tivessem não teriam realizado a eleição que não vai valer, por que precisaria da maioria absoluta dos vereadores. Então, isso daí foi só pra mostrar ao povo de Taquaritinga o que está acontecendo", criticou e seguiu; "continua se atropelando uma outra lei, que essa daí vem a prejudicar ele diretamente, mas ele (Eraldo), felizmente ou infelizmente, optou por esse caminho e cabe a nós que somos grupo defender o nosso grupo e mostrar ao povo o porque da nossa atitude".
O vereador encerra sua fala afirmando que a eleição será invalidada. "Daqui a poucos dias todos vão ver que temos razão e estávamos em nosso direito de ter feito aquilo".

Confira o áudio:


Por Paulo Pereira
Da Redação PEmais 

Nenhum comentário:

Postar um comentário