6 de dez de 2016

Taquaritinga do Norte decreta estado de calamidade por conta de incêndio em ária verde


Voluntários se empenham para combater o incêndio que já dura seis dias em área verde de Taquaritinga do Norte, no Agreste de Pernambuco, e consumiu cerca de cinco hectares de vegetação. Todos com baldes e mangueiras nas mãos, ajudando como podem. A prefeitura do município decretou estado de calamidade pública.

Os voluntários têm como base uma casa que dá acesso à mata afetada pelo fogo, que é propriedade particular. O dono do imóvel está no Rio de Janeiro e deve vir ao local apenas nesta quarta-feira (6). O caseiro que abriu a casa para os voluntários.

O fogo, acreditam os Bombeiros, veio da divisa de Vertentes, a 10km de Taquaritinga, e atingiu a Serra da Taquara, Mata da Conceição e Mata de São José, destruindo várias árvores centenárias. Atualmente, a área incendiada está a cerca de 2km do centro de Taquaritinga.

Segundo a CPRH, uma equipe de biólogos e engenheiros florestais chegou, na manhã desta terça-feira, ao município com equipamentos apropriados para o resgate de possíveis animais silvestres da área de mata atingida pelo incêndio. A equipe está percorrendo a área e, havendo resgate, os animais serão levados ao Centro de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), no bairro de Guabiraba, no Recife. 

Em um segundo momento, será feita uma avaliação dos danos ambientais causados na área em consequência do incêndio.

Nesta terça, por volta das 15h, haverá reforço da Defesa Civil e do Exército e no número de bombeiros militares. Também é esperada a presença de 50 bombeiros civis. A ação conjunta contará também com helicóptero que ajudará a dimensionar a queimada e identificar os focos de incêndio, já que o fato de a área ser de mata fechada dificulta muito o trabalho dos bombeiros e voluntários.

Enquanto isso, os ajudantes organizam frentes de trabalho para dividir as tarefas. Só na segunda-feira (5), foram utilizados mais de 50 mil litros de água, mas o clima seco e o vento dificultam ainda mais o combate. O empenho da comunidade é grande: os moradores disponibilizam água de seus poços artesianos e de um açude próximo. Está sendo assim desde a última quinta-feira (1º), quando o incêndio começou.

O trabalho tem início às 6h30 e segue até as 19h. O problema é à tarde, quando as chamas tomam maior proporção. Toda a área de mata é privada e possui cerca de 30 hectares. As pessoas lamentam o fato de a rampa do Pepê, na Serra da Taquara, ter sido atingida, já que é o principal ponto turístico da região. É na rampa que atletas de todos os lugares do Brasil praticam voo livre.

Da redação do Blog PE mais
Com informações da folha de PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.