13 de nov de 2016

Maior Superlua dos últimos 70 anos acontece nesta segunda-feira (14)

Nesta segunda-feira (14), a lua vai estar mais próxima da Terra do que nos últimos 70 anos. Mas vale a pena já ficar ligado desde esse domingo.


Neste feriado prolongado, as redes sociais vão se encher de fotos da maior superlua já vista nos últimos 70 anos. Nosso satélite vai parecer 14% maior no céu e 30% mais brilhante. Para perceber a diferença, porém, você precisa estar no lugar certo na hora certa.

A última vez que apareceu uma lua tão grande assim foi em janeiro de 1948. Para atingir esse ápice de tamanho, a lua precisa passar por dois fenômenos distintos ao mesmo tempo.

Em primeiro lugar, precisa estar na fase cheia. Para isso, é preciso que a Lua esteja posicionada do lado oposto da Terra com relação ao Sol. Assim, vista do nosso planeta, ela fica completamente iluminada.

Em segundo lugar, o satélite precisa estar mais próximo da Terra que o normal. Isso só acontece porque a órbita da lua é elíptica. Ou seja, o caminho que ela faz ao redor da Terra não é um círculo perfeito. Por isso, a distância do satélite em relação à Terra varia bastante. O momento em que a lua passa mais longe do planeta é chamado de apogeu. Já a posição quando ela se encontra mais próxima é chamada de perigeu.


A categoria de superlua já é dada para qualquer lua cheia que apareça nessa região da direita da órbita. Mas é bem mais raro que a lua esteja cheia justo quando chega ao ponto máximo de aproximação com a Terra. Por isso, o fenômeno do dia 14 de novembro é uma espécie de super-superlua, que vai estar a apenas 356.509 km do planeta.

A lua cheia de novembro, inclusive, é conhecida como a Lua do Castor. Isso porque, antigamente, os caçadores no hemisfério norte aproveitavam essa época para preparar armadilhas, capturar animais e garantir as peles que iriam esquentá-los no inverno.

O ápice da fase cheia da Lua do Castor acontece às 10h52 do dia 14 de novembro. Uma hora depois, ela atinge o pico do perigeu. Se você está no Brasil, isso é uma má notícia: o ponto alto do fenômeno vai acontecer praticamente durante o sol do meio dia, dificultando demais a visibilidade.

Nem por isso vale a pena deixar de observar o fenômeno: já na noite deste 13 de novembro, a lua deve estar maior, mais próxima e mais brilhante que o normal. No dia seguinte, ela vai estar começando a minguar, mas deve continuar sendo uma bela visão.

Para aproveitar ao máximo a vista dessas duas noites, vale a pena aproveitar o feriado e fugir da poluição luminosa dos grandes centros urbanos. Um céu escuro valoriza bastante a experiência da superlua e qualquer outro tipo de observação astronômica.

Outro ponto importante é tirar vantagem da chamada “ilusão lunar”. Uma lua 14% maior é coisa pra caramba, mas quando ela fica solta no céu, sem referências de tamanho, pode ser difícil perceber a diferença. O segredo aí é aproveitar o momento em que a lua começa a aparecer no céu, pertinho do horizonte. Neste domingo, isso acontece às 18h36 e, na segunda-feira, às 19h42. Nesse horário, dá para comparar o tamanho com a silhueta dos prédios e das árvores. Esse é o melhor momento para, de fato, enxergar uma lua gigante (e também tirar as melhores fotos).

E é bom correr para aproveitar essas duas noites: a próxima Super-superlua só acontece em 25 de janeiro de 2034.

Da Redação | PEmais
Com informações do site Superinteressante

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.