18 de dez de 2015

OPINIÃO: "Atestado de Incompetência"

Grupo 'Calabar' de Taquaritinga mostra incapacidade de gestão e hospital pode fechar as portas

Na tarde da última quarta-feira (15), um grupo de mulheres de Taquaritinga do Norte, lideradas por Socorro Lima, Claudiana Farias, que é pré-candidata a vereadora, e Lourdes Araújo, foram até a cidade de Gravatá -PE, onde na oportunidade estava acontecendo um evento do Governo de Pernambuco, a IV Conferência Estadual de Politicas Públicas para mulheres. Para tentar chamar atenção do Governo do Estado sobre a saúde no município de Taquaritinga, as mulheres realizaram um tímido protesto.

A administração municipal diz que o Governo de Pernambuco completou 11 meses sem repassar o recurso mensal para o Hospital geral Severino Pereira da Silva.

Mulheres realizam protesto cobrando o governador Paulo Câmara (Foto: Dália Net)
Atestado de Incompetência

O protesto realizado pelas mulheres ligadas ao prefeito, evidencia a má gestão e a incapacidade de um governo municipal que tem se mostrado impotente e sem força política para resolver a situação da Saúde no município. O hospital de Taquaritinga do Norte já foi por muitos anos, uma referência na região, onde atendia pessoas de várias cidades do Polo de Confecções.

Enquanto esteve no comando da prefeitura no últimos anos, os administradores do grupo 'Calabar' mostraram incapacidade administrativa em vários setores, porém a Saúde é o ponto mais afetado, a falta de uma gestão competente tem feito a população sofrer sem acesso a serviços básicos de Saúde no município. A saída para a população da 'Dália da Serra' tem sido buscar atendimento em municípios vizinhos, sendo muitas vezes vítima de 'piadinhas irônicas'.

Sem conseguir resolver a situação, a atual administração tem tentado se isentar da responsabilidade, jogando toda a culpa para o Governo do Estado.

Em uma entrevista concedida no mês de agosto, bastante repercutida na região, o ex-presidente da FUNDATA, Pedro Melo falou sobre a falta de uma gestão competente:
"Os recursos são escassos, isto é um fato. Mas não dá para atribuir a falta de recursos para problemas que são absolutamente de gestão. A falta de recursos não pode ser responsável pela inépcia da gestão.O que falta é conhecimento, planejamento, execução e fiscalização. Eles fazem de conta que pagam, as coisas fazem de conta de acontecem, e o que sobra é a famosa 'ambulancioterapia'. Mortes indevidas, deficiências evitáveis e o desperdício dos recursos que já são poucos."
Na verdade, o pequeno e tímido protesto serviu apenas para atestar a falta de capacidade para administrar o município, e principalmente a Saúde. O 'protesto' pode ser considerado nada mais nada menos, do que um simples ato de promoção pessoal de pessoas com claros interesses eleitoreiros.

Sabe-se que hospital vem passando por uma situação delicada há muito tempo, porque só agora, há poucos dias da chegada de um ano eleitoral, resolveram protestar?

Escrito por Paulo Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.