3 de nov de 2015

Motorista de transporte escolar deixa alunos da zona rural sem ter como voltar pra casa em Taquaritinga do Norte

Fotos publicadas no Facebook
No início da tarde desta terça-feira (03), alunos que residem na zona rural de Taquaritinga do Norte ficaram sem ter como voltar para casa. De acordo com algumas informações, de pessoas que tiveram contato com os alunos, essa é a terceira vez que o motorista esquece de pegar os estudantes.


Os estudantes 'esquecidos' residem nas comunidades de São Bento e Mateus Vieira, e são alunos da Escola de Referência Severino Cordeiro de Arruda, localizada no centro da cidade. A diretora da instituição, Sandra Rosa ficou indignada com a situação e fez uma publicação no Facebook, onde relatou que ligou várias vezes para a secretaria de Educação, e inclusive para o Prefeito, mas ninguém atendeu as ligações.

Do Facebook de Sandra Rosa
Os alunos permaneceram esperando por mais de duas horas sem informações sobre o transporte e com fome na praça central. Somente por volta das 14:30, o motorista Marcelo Alves, identificado pelos alunos, apareceu para levá-los de volta para casa.

Apesar do município contar com 21 ônibus, adquiridos através do programa Caminho da Escola do Governo Federal, para fazer o transporte escolar no município, segundo informações obtidas pelo blog PE mais, os estudantes da rede estadual são transportados em um veículo Toyota, igual esses que fazem transporte alternativo na região. Tentamos contato com a Secretaria de Educação e também não obtivemos êxito, mas o veículo provavelmente tem contrato com a Prefeitura Municipal para realizar o serviço de transporte escolar.

O programa Caminho da Escola foi criado com o objetivo de renovar a frota de veículos escolares, garantir segurança e qualidade ao transporte dos estudantes e contribuir para a redução da evasão escolar, ampliando, por meio do transporte diário, o acesso e a permanência na escola dos estudantes matriculados na educação básica da zona rural das redes estaduais e municipais. O programa também visa à padronização dos veículos de transporte escolar, à redução dos preços dos veículos e ao aumento da transparência nessas aquisições.


O motorista justificou que não teria sido informado que haveria aula hoje, provavelmente por ter sido um dia onde o prefeito havia decretado Ponto Facultativo no município. Porém, os alunos fazem parte de uma escola gerida pelo Estado, ou seja, a instituição funcionou normalmente.

O fato gerou polêmica e discussões durante o dia no município e nas redes sociais. Até o momento, a Secretaria de Educação não se pronunciou sobre o caso.

Por Paulo Pereira | PE mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.