7 de nov de 2015

Dezoito municípios de Pernambuco estão totalmente sem água, diz Compesa

Volume morto da barragem de Jucazinho começou a ser utilizado

Barragem de Jucazinho (Foto: Compesa)
Dezoito cidades de Pernambuco estão em colapso -- totalmente sem água -- e outras 32 estão em pré-colapso.

A informação é do presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, em entrevista no Bom Dia Pernambuco na última sexta-feira (6). De acordo com a Coordenadoria de Defesa Civil do estado (Codecipe), outras 126 cidades estão em situação de emergência. Veja no vídeo acima.
"Nós temos 50 cidades que estão sendo apoiadas com carro-pipa. Temos situações no Agreste Meridional, como Jupi, Jucati, são cidades que estão no colapso total, absoluto. As barragens que abasteciam secaram e o abastecimento é exclusivemante por carro pipa", apontou Tavares. Segundo ele, os moradores dessas e de outras cidades em colapso não precisam nem acionar a Compesa. "A gente já faz o atendimento emergencial", explicou.
A situação é preocupante para as cidades em situação de emergência. A barragem de Jucazinho, por exemplo, atende doze cidades do Agreste do estado e pode armazenar 327 milhões de metros cúbicos de água, mas está com apenas 2,5% da capacidade. Para retirar o volume morto, a Compesa precisa fazer uma obra, já que as bombas normais já não conseguem captar a água.

Chuva

"Investimos no sistema de Jucazinho, nos últimos 60 dias, R$ 1 milhão, de forma a captar todo o restante da água e tentar chegar no próximo período chuvoso", destacou Roberto Tavares, lembrando que o próximo período chuvoso, de acordo com as previsões, será apenas em março de 2016. "Estamos contando que não vamos ter chuva, nos preparando para isso", declarou ainda o presidente.

Ainda segundo Tavares, a situação na Região Metropolitana é um pouco mais confortável. As três barragens que abastecem as cidades do Grande Recife estão relativamente cheias.
"Pirapama está com 97% da capacidade, Tapacurá com 64% e Botafogo, que atende mais a região metropolitana norte, está com 34%", completou ainda o presidente da Compesa.

Operação

A captação do volume morto de Jucazinho será feita por meio de uma bomba submersa que atenderá ao ritmo de retirada de até 250 litros por segundo. Com isso, poderá ser mantido o rodízio anterior de dois dias com água para 28 sem água nas 12 cidades atendidas: Cumaru, Passira, Riacho das Almas, Santa Cruz do Capibaribe, Salgadinho, Surubim, Casinhas, Santa Maria do Cambucá, Vertente do Lério, Frei Miguelinho, Vertentes e Toritama, além do distrito de Ameixas. Caruaru, também no Agreste, continuaria sendo atendida pela barragem do Prata, enquanto Gravatá e Bezerros, pelos reservatórios de Brejinho, Cliper, Vertentes e Brejão.

O investimento para execução dessa obra é de R$ 1,3 milhão. Os recursos são provenientes do Governo do Estado e fazem parte do fundo para obras emergenciais de combate à seca.

Com a bomba submersa, será possível explorar a barragem por mais quatro ou cinco meses. Caso não chova até lá, a Compesa já estuda a possibilidade de atender à população com 100 carros-pipa que começaram a ser viabilizados.

Publicado por Paulo Pereira | PE mais
Com informações do G1 e Compesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.