29 de ago de 2015

O fim da Festa das Dálias em Taquaritinga do Norte

Conhecida como a “Dália da Serra”, rica em belezas naturais e famosa pela prática de esportes radicais, Taquaritinga do Norte viveu tempos de glória quando passou a fazer parte do 'Circuito do Frio'. Grandes atrações nacionais como Roupa Nova, Exaltasamba, Wando, Paulo Ricardo, Vanessa da Mata, Jorge Aragão, Emílio Santiago, Alcione, Fafá de Belém, José Augusto, Reginaldo Rossi, Capim Cubano entre outros passaram pelo palco da Festa das Dálias. Taquaritinga se transformava, todo mês de agosto, na cidade Frio no Agreste Setentrional, recebendo milhares de visitantes e aquecendo o Turismo local.

Foto: Costa Neto
Apontado pela Secretaria de Cultura e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) como um programa que cumpre a missão de fortalecer os laços de cada território com sua própria tradição, valores, costumes, etc, o Festival Pernambuco Nação Cultural (FPNC) foi abortado este ano nas cidades de Pesqueira, Gravatá, Taquaritinga do Norte e Exu, devido aos cortes orçamentários que a área tem sofrido em decorrência da crise que afeta o País e, em particular, Pernambuco.

O Secretário de Cultura, Marcelino Granja, trata o tema como se não fosse novidade.
“A luta para economizar os recursos não é de agora. Já estamos no mês de setembro, mas o governador (Paulo Câmara) anunciou antes da posse que teríamos um 2015 difícil. As medidas que foram tomadas para fazer economia de despesas foram determinadas no início do ano”, disse o secretário em entrevista publicada na edição de hoje do Jornal do Commercio.
Eventos como o Carnaval, o São João, o Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), o Festival de Cinema de Triunfo, o Ciclo das Paixões e o próprio Pernambuco Nação Cultural, que ocorreram com investimentos bem menores que edições anteriores, foram citados como exemplos da contenção nos gastos.
“Toda a agenda cultural do Estado foi mantida, mas com a gente economizando dinheiro”, assegura.
O Secretário de Cultura, Marcelino Granja
Foto: Bobby Fabisak
Marcelino exerce a arte da retórica ao dizer que os festivais não foram cancelados pois não foram pactuados com as prefeituras. Na prática, o que ocorre é que a realização de festas tradicionais abraçadas pelo Festival Pernambuco Nação Cultural – a exemplo da Festas das Dálias, em Taquaritinga do Norte; da Renascença, em Pesqueira; da Estação, em Gravatá; e a Festa de Exu, que encerra, em dezembro, o calendário cultural do festival - volta a ser de responsabilidade exclusiva dos gestores municipais. 
“Deixamos de ter um conjunto de festivais para implementarmos um programa. Usaremos o nome Programa Nação Cultural, mas utilizando, principalmente, o nome característico da força do próprio local. As prefeituras continuam a realizar as festas – que já aconteciam antes mesmo da implementação do FPNC – e nós garantiremos o apoio a cachês de artistas na programação, na medida dos recursos, que vão apertar”.
A medida reflete na diminuição dos postos de trabalho e palcos para artistas, produtores e equipe técnica pernambucanos.

A argumentação do secretário é de que o momento de crise orçamentária suscitou a implantação da política cultural de “menos shows”, há muito pedida pelos fazedores de cultura pernambucanos:
“É preciso diminuir os eventos e dar peso. Essas medidas favorecem a discussão e a transição na medida que não se pode fazer, por restrição financeira, e a gente vai atrás das forma mais sustentáveis.”
Durante todo o mês de agosto, a prefeitura de Taquaritinga do Norte em nenhum momento se pronunciou sobre a realização ou não da 16ª Festa das Dálias. Não houve nenhuma demonstração de interesse da atual administração em se planejar ao longo dos anos para fazer o evento deixar de ser refém do governo do estado. Faltou planejamento e força política para não deixar um evento tão importante morrer. Depois de passar um mês de junho sem Festas Juninas, e agora com este anúncio feito pelo secretário de Cultura de Pernambuco, pode se considerar decretado oficialmente o fim de um dos maiores eventos da região, que elevava o nome de Taquaritinga e trazia inúmeros benefícios para o município.

Por Paulo Pereira | PEmais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.