27 de jun de 2015

Toinho do Pará fala sobre mudança de grupo político e não economiza críticas a ex-aliados

“O meu tempo nos taboquinhas passou, parou”
Ao lado do prefeito Edson Vieira, Toinho do Pará foi recepcionado por políticos e correligionários situacionistas. Foto: WhatsApp - Grupo Direto ao Ponto.
Em entrevista concedida na Rádio Comunidade FM na manhã desta sexta-feira (26), o ex-prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Toinho do Pará (PHS), falou sobre a mudança de grupo político e das polêmicas de bastidores relacionadas a sua saída da ala oposicionista.

Tido como uma das principais lideranças do grupo taboquinha, o ex-prefeito foi, recentemente, empossado como assessor do primeiro secretário da Alepe e deputado estadual, o situacionista Diogo Moraes (PSB), fato que confirmou sua mudança de grupo político.

Reunião com José Augusto Maia

Durante a entrevista, o ex-prefeito falou sobre uma reunião realizada na noite de quinta-feira (25) na casa do ex-deputado federal José Augusto Maia (PROS) e que se estendeu pela madrugada.

O assunto foi à mudança de ala política e o ex-prefeito disse um resumo do que teria falado ao ex-deputado.
“Conversando com José Augusto, eu mostrei a ele: “Zé, dessa vez não, dessa vez não dá mais. Eu só vim te avisar. Segue teu caminho que eu sigo o meu.”. Tivemos nossas desavenças, tivemos nossos atropelos, mas isso já passou, está perdoado. Como pessoa, se puder ser meu amigo e eu quero ser seu amigo, mas como político, você vai seguir seu caminho que eu vou seguir o meu.”, disse.
A resposta de José Augusto Maia sobre a reunião

O ex-deputado expressou, nas redes sociais, a sua versão da reunião tida com o ex-prefeito.
“Recebi agora a pouco, em casa, Toinho do Pará. Ele me revelou que hoje de manhã, vai tomar um novo rumo na política. Pedi que repensasse, os Taboquinhas amam a mim e também a você, nós nunca lhe abandonamos. Se alguém do grupo lhe magoou na política, isso é normal, fui magoado várias vezes e perdoei. Os que hoje lhe oferecem emprego, lhe maltrataram, debocharam, desmoralizaram, lhe chamaram de “Toinho Ruim” e até de “Toinho Buracão”. Se assim fizer, nosso povo se sentirá traído e nunca vai lhe perdoar.”, disse Zé.
Reação as possíveis críticas de José Augusto Maia e vereadores

Toinho foi questionado sobre como seria sua reação ao ser, possivelmente, chamado de traidor pelo ex-deputado e pelos vereadores oposicionistas e foi enfático.
“Se hoje ou amanhã José Augusto, Ernesto Maia ou qualquer um dos vereadores me criticarem, falarem mal de mim ou me jogarem contra o povo, isso vai passar muito rápido na minha cabeça”.
As mágoas contra José Augusto, vereadores de Oposição e outras revelações de bastidores

Pouco tempo depois, Toinho fez um desabafo, revelando bastidores de quando era prefeito e das eleições 2014, que disputou o cargo de deputado estadual, mas sem sucesso.
“Tomei uma decisão na vida pública porque encheu, topou; com “Volta Zé” ou as vaias que levei na Cohab (que teriam sido orquestradas por pessoas ligadas ao seu próprio grupo), agora uma eleição muito difícil que enfrentei que não ficou um vereador comigo… Não coloco a culpa nos vereadores, não boto a culpa em José Augusto, mas eu me incluo dentro dessa culpa. Agora, tudo tem seu tempo permitido por Deus e o meu tempo nos taboquinhas passou, parou. A partir de hoje vou me equilibrar junto a Diogo (Moraes) e a Edson Viera para contribuir.”, disse.
Em seguida, ele não poupou críticas ao ex-deputado José Augusto Maia.
“Eu estava lá, morgado, escanteado, abatido e esquecido. Zé tomava as decisões e nem a Toinho do Pará ele perguntava se ele é morto, se é vivo, como é que ele está ou onde é que ele está… Querem apagar um passado que não tem quem apague. Não tem quem apague o passado de Toinho do Pará porque tem obras edificadas, a não ser que as derrubem.”, disse.
Apoio a Edson Vieira e Diogo Moraes

Durante a entrevista, Toinho pontuou que agora dedicará seu apoio irrestrito ao prefeito e ao deputado socialista. “Estou aqui para somar.”, disse.
Informações do blog do Ney Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.