16 de abr de 2015

Câmara aprova abertura de processo de cassação do prefeito de Toritama, Odon Ferreira

Clima foi de muita movimentação dentro e fora da Câmara.
A noite da última quarta-feira (15) ficará marcada na história política de Toritama.

Em meio a um clima tenso, nervos a flor da pele, vaias, aplausos e a presença maciça de uma multidão dividida que lotou a casa legislativa João Manoel da Silva, os parlamentares aprovaram a abertura do processo de cassação do prefeito Odon Ferreira (PSB). O clima também foi quente do lado de fora da Casa de Leis.



Muito se questionava sobre a necessidade de sete votos na Câmara para a abertura do processo, levando-se em conta que a Oposição tinha apenas cinco vereadores.

Depois de muito tumulto, vários parlamentares pediram que a população presente se acalmasse e, em algumas ocasiões, a Polícia Militar chegou a ser acionada para retirar manifestantes contra o governo, que estavam mais exaltados.

A votação começou por volta das 23h, onde se teve a vitória da Oposição com oito votos a cinco, ou seja: três vereadores, que integram a base governista votaram a favor da abertura do processo de cassação do prefeito.

São eles: Fábio Araújo e Zé Boim (ambos do PSDB, respectivamente sobrinho e tio da vice-prefeita Lucinha) e o vereador Maviael (PSL). Com esse resultado, fica praticamente decretada a ida desses vereadores para o grupo de Oposição.

O rompimento com a vice-prefeita



O prefeito Odon acompanhou a reunião através das emissoras de rádio e, logo após ouvir os resultados, comunicou seu rompimento com a vice-prefeita Lucinha Pereira (PSDB) e também com os demais vereadores dissidentes.

O cenário da votação
Votaram a favor da abertura do processo: Birino (PSB), Dioclécio (PTC), Fábio Araújo (PSDB), Fábio Florentino (PT), Maviael (PSL), Morica (PSL), Nilton de Enoque (PSB) e Zé Boim (PSDB).

Votaram contra: Arimatéia (PSD), Marcos Serafim (PSB), Rosana Ferreira (PSD), Zé Neto (PSD) e Loló (PTB).

A força da Oposição
Após a votação, foi formada uma comissão de três vereadores através de sorteio. A comissão que vai estudar o processo será presidida por Morica, seguida de Dioclécio (relator) e Arimatéia (secretário).

Para a Oposição, o cenário não podia ser melhor. O vereador Morica, que presidirá a comissão é o líder da Oposição na Câmara e Dioclécio foi o vereador que sugeriu a abertura do processo de cassação, ou seja era: tudo que a oposição queria.

O pedido de cassação foi feito após o Ministério Público ter denunciado o prefeito em dois processos por improbidade administrativa.

Movimentos esquentam a disputa já para 2016
O clima na cidade é de muita expectativa para os pronunciamentos que devem ser feitos nas próximas horas, tanto por parte do Prefeito Odon, quanto pela vice Lucinha.

O cenário político mudou radicalmente com esse rompimento. Agora é esperar para ver se Lucinha irá para o grupo de Nilton de Enoque, que já é pré-candidato, ou lançar sua candidatura, formando mais um grupo. O fato é que Lucinha não aceitara ser vice na chapa de ninguém.

As informações são do blog do Ney Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.