28 de fev de 2015

Não só o consumidor critica reajuste na conta de luz, Eduardo da Fonte também

Foto: Lucio Bernardo Jr/Câmara dos Deputados





O impacto causado pelo último reajuste na conta de luz sequer foi digerido pelo consumidor e mais dois aumentos já estão programados. Nessa sexta (28), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o aumento do preço da bandeira vermelha que será de R$ 5,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. A sinalização é um mecanismo que repassa a alta do preço da energia para o consumidor já no mês seguinte. Ela começou a ser cobrada em janeiro último, gerando um adicional de R$ 3 para cada 100 kWh consumidos.

Como política e economia andam de mãos dadas, o deputado federal Eduardo da Fonte, conhecido pelas críticas à Celpe, logo partiu em defesa do consumidor e lamentou a alteração dos valores.
Foto: Freeimages
“É lamentável esse reajuste na conta de luz, que é um serviço básico para a população. Mas, graças ao histórico combativo do povo pernambucano e do nosso trabalho, na Aneel, contra os sucessivos abusos cometidos pela companhia, Pernambuco é o estado com o menor reajuste em relação aos demais do País”, afirmou o parlamentar.
De acordo com a Aneel, entre as 58 companhias listadas, o maior índice de reajuste será no Rio Grande do Sul (aumento de 39,5%). Em São Paulo, o aumento pode chegar até 38,5%. Pernambuco foi considerado o menor reajuste em comparação aos demais estados (2,2%). O percentual aplicado ao consumidor pela Celpe será de 1,45%.

Esse segundo aumento foi chamado de Revisão Tarifária Extraordinária (RTE). Ambos os reajustes (o da bandeira e o da RTE) passam a valer a partir da segunda-feira. E, no dia 29 de abril, entrará em vigor o reajuste anual da Celpe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.